Novos abrigos para menores funcionam na Zona Leste

Editoria: Geral
Origem: Portal Prefeitura de São Paulo
15 Out 2007 - 1:07:25 PM

A Prefeitura abriu na sexta-feira (12/10) novos acessos para que crianças e jovens tenham melhores perspectivas de futuro. O prefeito de São Paulo entregou oficialmente na região da Penha três novos abrigos para meninos e meninas da faixa etária de zero a 17 anos e 11 meses. Os abrigos Nosso Lar II e IV, em Arthur Alvim, e o Nosso Lar III, na Vila Matilde serão moradias para cerca de 60 menores, vitimados pelo abandono ou violência doméstica. Integram a rede de proteção da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (Smads) para atender os menores durante o tempo em que será feito um trabalho de reinserção familiar ou encaminhamento para adoção.

"Estes abrigos são a porta de entrada para que as crianças tenham uma oportunidade na vida. Se essas crianças não estivessem aqui poderiam estar largadas em algum canto da Cidade. É muito gratificante, e nada mais oportuno, no Dia da Criança, homenagearmos aqueles que nos ajudam a construir uma obra tão importante no campo da assistência social", declarou o prefeito. Ele destacou que a filosofia da atual administração é priorizar a questão social, nas áreas da saúde, educação, habitação e assistência social, setores esses que podem solucionar grandes problemas da Cidade.

As três unidades inauguradas resultaram do desmembramento de uma única instituição que funcionava no bairro sob a administração da Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social. Abrigava 80 crianças que agora, na rede de proteção da SMADS, serão atendidas em quatro abrigos (o Abrigo Porta de Entrada Nosso Lar I será ainda inaugurado). Cada um dos Abrigos Porta de Entrada Nosso Lar vão atender no máximo 20 menores de ambos os sexos, distribuídos conforme a faixa etária. Nas unidades III e IV ficarão os maiores, a partir de 6 anos. A unidade II tem atendimento preferencial para bebês e crianças até 6 anos.

De acordo com o secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, esta distribuição permite melhor atendimento às crianças, com desenvolvimento de atividades adequadas a cada faixa etária. Além disso, favorece a convivência mais harmônica entre crianças e jovens de diferentes idades, facilitando a interação social.

Os Abrigos Nosso Lar II e IV funcionam num espaçoso sobrado com três pavimentos numa área privilegiada do bairro, próximo de escola municipal e de Unidade Básica de Saúde (UBS). O pavimento térreo é compartilhado pelas crianças e jovens das duas unidades, com atividades sociais e de recreação.

A casa tem três dormitórios, cinco banheiros, copa, cozinha, sala de visita e TV, jardim de inverno, dois terraços, sala de reunião e sala para oficinas. Escadarias independentes permitem o acesso para cada unidade nos dois pavimentos superiores. Corredores também independentes levam ao quintal, de uso comum, e a um terreno de propriedade particular, vizinho ao casarão, cedido pelo proprietário para que as crianças e jovens atendidos nos abrigos cultivem horta e pratiquem jardinagem.

Um trabalho especial é desenvolvido para atendimento de bebês, que chegam aos abrigos com apenas alguns dias de vida. São encaminhados pela Vara da Infância ou pelos Conselhos Tutelares após determinação judicial para que sejam inscritos no programa de adoção. Ao ingressar nos abrigos municipais, recebem atendimento médico e acompanhamento nutricional.

O Abrigo Nosso Lar III funciona na Vila Matilde, numa casa equipada para acomodar confortavelmente as crianças e jovens acolhidos no local. Tem três dormitórios, três banheiros, copa, cozinha, sala de TV, enfermaria, sala para assistência social, sala de coordenação e espaço para oficinas.

Os abrigos têm como principal finalidade reinserir a criança e o jovem no convívio familiar e na sociedade. Estas unidades são conveniadas com o Centro de Assistência e Promoção Social Nosso Lar, que também mantém outros sete convênios com Smads e administra creches conveniadas em parceria com a Secretaria Municipal da Educação.

A rede de proteção social da Smads é composta por 54 abrigos (cinco são porta de entrada para crianças de 0 a 6 anos de idade), além de 14 Centros de Referência da Criança e do Adolescente (Crecas), quatro Casas de Acolhida e 400 Núcleos Sócio-Educativos (NSEs). No total, atende diariamente a 60 mil crianças.

O processo foi acompanharam por dois secretários municipais e pelos subprefeitos da Penha e de Ermelino Matarazzo.